quinta-feira, 15 de outubro de 2015

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

A origem e evolução da costura

Entenda um pouco mais sobre a arte de costurar, um trabalho que faz maravilhas com tecido.

Comprar o tecido, escolher a modelagem e dar asas à imaginação: a arte de costurar ainda conquista muitos adeptos até hoje, seja por necessidade, diversão ou trabalho. 

A profissão de costureiro ou alfaiate existe desde o início da civilização:
 
Relatos afirmam que as agulhas mais antigas, feitas de osso e marfim, foram fabricadas há mais de 30 mil anos. A tecelagem demorou um pouco mais a aparecer: cinco mil anos atrás, as pessoas aprenderam a trançar e enredar fios feitos de pelos de animais.
Esta arte manual acompanha a história dos hábitos humanos, já que, de acordo com a tecnologia disponível em cada época da história, os trajes ganham novos recursos e sofisticação. Na Idade Média os artesãos passaram a usar não só os fios, mas também jóias e pedras preciosas nas vestimentas.
O ofício permaneceu como uma arte de especialista, passada de geração em geração para homens e mulheres, até a Revolução Industrial. Nesta fase, como em diversos outros ofícios, a costura ganhou padronização e produção em série, mais rápida e adequada ao crescente mercado consumidor.
O primeiro modelo foi patenteado em 1790 por Thomas Saint, uma máquina de costura para trabalhos em couro, e em 1830 o alfaiate francês Barthélemy Thimonnier patenteou um modelo mais eficiente. Tal invenção foi motivo de raiva para os artesãos que, em 1841, destruíram as oficinas e máquinas do alfaiate, preocupados com a perda de seus empregos. 
Mesmo após a sofisticação das máquinas industriais, roupas feitas sob medida continuaram a ser produzidas, tornando-se um produto característico das classes mais abastadas devido ao sentimento de exclusividade. Nessa fase surge o embrião do que seria a alta costura, criando uma cultura própria para o ofício e um importante setor econômico.
A costura acompanha os hábitos mais arraigados da civilização: até pouco tempo atrás, meninas eram instruídas de forma que fossem capazes de fazer, com a ajuda das mães e irmãs, peças para o seu próprio enxoval de casamento. 
A costura também se tornaria um ofício bastante útil para a esposa, já que era um dos poucos trabalhos ao qual a mulher poderia se dedicar para complementar a renda da família. A invenção da máquina de costura doméstica,  em meados do século XIX, proporcionou muita praticidade para os adeptos do ofício realizarem seus trabalhos com mais rapidez e eficiência.
Nos dias de hoje, é possível encontrar modelos portáteis que executam trabalhos bastante detalhados com qualidade profissional. Marcas como Elgin, Singer e Janome oferecem equipamentos sofisticados e dotados de recursos como passagem de linha à prova de erros, caseador de quatro passos, costura reta, ziguezague. Com as máquinas atuais, também é muito mais fácil costurar bordados, fazer bainhas e ousar nos cortes mais elegantes. 

Curiosidade - A alta costura
A invenção da Alta Costura (haute couture) é creditada ao francês Charles Frederic Worth, no ano de 1858, em Paris. Foi dele a primeira  maison de alta costura, procurada por membros da alta sociedade para a criação de modelos exclusivos. Em 1945, foram estabelecidas certas regras que devem ser seguidas à risca pelos ateliês que se intitulam como sendo de Alta Costura. Entre as regras, consta a obrigatoriedade de produzir pelo menos duas coleções por ano (primavera-verão e outono-inverno), com 35 peças cada, com vestimentas para noite (fiou) e para o dia (tailleur).


Fonte: site Magazine Luiza.
Visite nossa fanpage no Facebook AQUI.
Mais informações no Google+ AQUI.

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

A história das máquinas de costura

A idéia de se costurar através de uma máquina surgiu no ano de 1760 e passou muito tempo despercebida. Inúmeros inventores desenvolveram projetos e patentearam novos modelos de máquinas de costura, porém nenhum deles era prático.
Wilccox & Gibbs - 1857Um antigo provérbio latino diz que "A necessidade é a mãe da invenção", mas a invenção da máquina de costura foi uma exceção à regra, pois não surgiu para preencher um desejo reconhecido. A máquina de costura nasceu do espírito inventivo de sua época e criou um desejo que preencheu. Nem demanda popular, nem qualquer necessidade premente, mesmo que limitada, encontra-se registrada como solicitação de uma máquina de costura.
As pálpebras pesavam com a costura até a meia-noite, mas nunca uma mulher pediu chorando: "Dê-me uma máquina de costura".
A máquina de costura tirou dos ombros de incontáveis milhões o trabalho enfadonho de costurar a mão e tornou disponíveis, a outros incontáveis milhões, mais e melhores roupas por apenas uma fração daquilo que custava antes de ter sido inventada. Dia e noite, homens e mulheres em toda a parte do mundo vestem e usam artigos feitos com a máquina de costura, seja doméstica ou industrial. A máquina de costura aumentou os guarda-roupas, tornou possível a produção em massa de inúmeros produtos e emancipou mulheres de todos os países, como nada mais o fez na história.
"Depois do arado, esta máquina de costura é talvez o instrumento mais abençoado da humanidade", escreveu Lois Antoine Godey, em 1856. Mahatma Gandhi, o líder hindu, enquanto estava na prisão, aprendeu a costurar em uma máquina SINGER e mais tarde isentou-a em sua interdição sobre o maquinário ocidental. "Ela é uma das poucas coisas úteis já inventadas", disse ele.
A nenhuma pessoa isolada poderá, de pleno direito, ser dado o crédito total pela invenção da máquina de costura.
• Thomas Saint foi o primeiro a conceber a costura feita à máquina em 1790.
• Josef Madersperger fez a primeira máquina verdadeira para fazer costura, tanto conhecida como realmente usada.
• A primeira máquina americana a ser efetivamente fabricada foi a do Rev. John Adams Dodge.
Barthelemy ThimmonierBarthelemy Thimmonier foi o primeiro a produzir máquinas de costura em quantidades comerciais e colocá-las em uso prático.
• A Walter Hunt pertence a honra de ter sido o primeiro a combinar uma lançadeira e agulha com olho na ponta para fazer uma costura fechada prática.
• John A. Bradshaw aperfeiçoou a primeira máquina de fabricação americana a ser vendida em quantidades comerciais.
• Elias Howe Jr. foi o primeiro a patentear uma máquina tendo uma agulha com olho na ponta que transportava um fio contínuo e fazia costura fechada.
• John Bachelder desenvolveu e patenteou a primeira máquina de alimentação contínua.
• Lerow e Blodgett inventaram a primeira lançadeira de movimento contínuo girando num plano horizontal.
• Allen B. Wilson contribuiu com o gancho rotativo e a alimentação de quatro movimentos em 1851.
• William O. Grover concebeu o dispositivo de ponto corrente de dois fios também em 1851.
• Isaac Merrit Singer tomou alguns dos princípios inventados por outros, combinou-os no mais prático arranjo, acrescentou características importantes de seu próprio projeto e deu ao mundo a primeira máquina de costura verdadeiramente prática.

No século passado, cerca de 46.000 patentes de máquinas de costura de várias espécies foram emitidas. Hoje, The Singer Company, a maior empresa na indústria de máquinas de costura, produz cerca de 250 modelos diferentes em todo o mundo.
A eletricidade e rolamentos aperfeiçoados aumentaram a velocidade na costura. Uma máquina de costura de uso doméstico pode fazer até 1.500 pontos por minuto. Já algumas de uso industrial chegam a fazer 7.000 pontos por minuto.
Elias Howe patenteou a máquina de costura


Fonte: Mundo das máquinas de costura

Visite nossa fanpage no Facebook AQUI.
Mais informações no Google+ AQUI.

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Dica de kit básico de costura

Além de uma boa máquina, um kit básico de costura é essencial para poder fazer suas criações. Seja para quem está começando ou mesmo para costureiras e artesãos de mão cheia, aqui vai umas dicas bem legais sobre quais itens não podem faltar no seu ateliê e também quais escolher na hora da compra.

Os componentes básicos de um kit de costura são:
  • diversos tipos de botões;
  • agulhas de tamanhos variados;
  • linhas variadas;
  • tesouras de costura;
  • alfinetes e almofada de alfinetes;
  • um dedal;
  • fita métrica;
  • presilhas, ganchos, ilhoses e colchetes;
  • fita autoadesiva;
  • retalhos.
Se você ainda não tem esses artigos, tenha as seguintes dicas em mente, ao comprá-los:
  • tesouras leves com 15 ou 18 cm de comprimento são as melhores. Use-as apenas para a costura;
  • alfinetes com cabeças grandes de vidro ou plástico são os mais fáceis de usar. Compre os maiores que encontrar, de até 3 ou 4 cm de comprimento;
  • um pacote de agulhas de pontas variadas, de tamanho médio, com orifícios redondos, apropriadas para todos os pesos de tecido;
  • existem dedais de diferentes tamanhos; encontre um que se encaixe no dedo médio da mão que você usa para costurar;
  • colchetes e ganchos de tamanhos variados (1, 2 e 3) e presilhas tamanhos 3/0, 2/0 e 0 resolvem a maior parte dos problemas de reposição;
  • uma régua de metal para costura (vazada no meio), de 15 cm, é mais útil para costuras que uma fita métrica, particularmente para fazer bainhas, já que pode ser usada para manter-se constante a medida desejada.
  • outros artigos que facilitam muito a costura incluem um abridor de casas, cuja ponta afiada e curva é usada para abrir costuras e a ponta fina é usada para retirar os fios soltos; um passador de linha, que poupa muito tempo e frustração; e uma tesoura de recorte, que tem bordas em zigue-zague, o que lhe permite aparar o tecido sem esfiapá-lo.